Cidade-território | City-territory

Por Floriano Romano |

As paisagens sonoras são deslocamentos de lugar que nos remetem a uma memória coletiva que tende a ser esquecida em prol de um imaginário construído pela sociedade midiática e globalizada. A cidade é o espaço que abriga na sua memória coletiva essas vivências e diferenças. As pequenas ocorrências, as histórias de cada rua, os habitantes da cidade e suas rotinas, os locais de encontro, esses dados que passam despercebidos e não são documentados, juntos formam um território sonoro, criado para abrigar e confortar nossa experiência, um território que vibra com a ressonância de suas ondas sonoras. A existência desse território se dá na ocupação do espaço pelo som, sua escuta nos leva a perceber criticamente o espaço e ativa a nossa memória. Podemos pensar esse espaço como nosso enquanto caminhamos por ele. Pensar na possibilidade da criação de um território com o som dos corpos, das vozes, camadas de histórias, outro lugar, uma paisagem híbrida. O som e suas ondas rítmicas acertam nossos corpos produzindo em nós a memória desse território. A imagem sonora do deslocamento. A cidade-território presente através da sua amplificação. A memória dos locais e a sua permanência.

. . .

By Floriano Romano |

Soundscapes are places of displacement that lead us to a collective memory that tends to be overlooked in favor of an imaginary constructed by the media and globalized society. The city is the space that houses in its collective memory these experiences and differences. Small events, the stories of each street, its city dwellers and their routines, the meeting points, these data that go unnoticed and are not documented, together form a sound territory, created to shelter and comfort our experience, a territory vibrates with the resonance of its own sound waves. The existence of this territory happens in the occupation of space by sound, its listening leads us to critically perceive the space and activates our memory. We can think this space as ours as we walk through it. To consider the possibility of creating a territory with the sound of bodies, voices, layers of stories, elsewhere, a hybrid landscape. The sound and its rhythmic waves hit our bodies producing in us the memory of this territory. The sound image of displacement. The city-territory present through its amplification. The memory of places and their permanence.


Floriano Romano é o representante do Brasil na área de música da HOBRA | Floriano Romano is the Brazilian delegate in the area of music for HOBRA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s