Diário de bordo: dia 1 | Daily log: day 1

Depois de pouco mais de um mês de interações on-line, por Skype e e-mail, os artistas do Brasil e da Holanda que participarão da HOBRA se conheceram pessoalmente ontem (segunda-feira, 11 de julho), no Reduto – o centro cultural convertido em QG do projeto ao longo das próximas três semanas. Durante o café da manhã, com direito a frutas tropicais e pão de queijo (que alguns dos holandeses não conheciam), os artistas e seus respectivos curadores, o idealizador holandês Jorn Konijn, o provocador Fred Coelho e a convidada especial Clara Cavour trocaram ideias, se apresentaram e conheceram um pouco da dinâmica de trabalho. Foi o primeiro encontro também com as equipes de produção e técnica.

Do Reduto, parte dos artistas seguiu para o bairro de Santa Teresa, onde conheceram os dois principais espaços onde será realizado o grande evento de encerramento aberto ao público, no dia 31 de julho: o Centro Cultural Laurinda Santos Lobo e o Museu Casa de Benjamin Constant. No primeiro, um casarão rosado do final do século XIX, os participantes poderão explorar os múltiplos ambiente da antiga residência da Baronesa de Parina e depois do senador Joaquim de Lima Pires Ferreira (apesar do centro cultural receber o nome da principal mecenas do bairro durante a belle époque carioca, Laurinda nunca morou naquela casa).

“Achei tudo muito romântico. Quero criar um projeto que integre a cidade com a natureza. Aqui é perfeito”, disse Jan Cleijne, artista holandês representante da área de literatura, sobre a sua primeira impressão enquanto observava o jardim da Casa Laurinda Santos Lobo. O dramaturgo Pedro Kosovski, representante brasileiro de artes cênicas, ficou animado com a possibilidade de fazer uma apresentação tendo como cenário a fachada da casa menor, localizada atrás da residência principal. “Essas paredes com portas e janelas envelhecidas têm texturas e são lindas”, comentou o autor. “É espaço muito teatral”, complementou Cesar Augusto, um dos curadores das áreas de teatro e teatro doc, além de um dos idealizadores da residência.

A partir daí, o dia foi de aclimatação à cidade, com atividades turísticas. A programação seguiu com uma visita dos representantes da Holanda ao Corcovado, para conhecer um dos principais pontos de visitação do Rio. E o primeiro dia terminou com um animado encontro na mureta em frente ao Bar Urca. Ali, artistas e curadores puderam conversar sobre amenidades (mas também trocar ideias sobre os projetos que criarão em conjunto) enquanto curtiam a vista da Baía de Guanabara.

. . .

After a little more than one month of online interactions, via Skype and email, Brazilian and Dutch artists who will participate of HOBRA have met personally yesterday (Monday, 11th of July), at Reduto’s – a cultural center converted into HQ of the project throughout the next three weeks. During breakfast, with tropical fruits and pao de queijo (which some of the Dutch didn’t know), the artists and their respective curator, the Dutch creator Jorn Konijn, provocateur Fred Coelho and special guest Clara Cavour exchanged ideas, introduced themselves and got to know a little bit about the work dynamics. It was the first meeting also with the production and technical teams.

From Reduto, some of the artists went to Santa Teresa neighborhood, where they met the two main spaces where the big final event, open to the public, on the 31st of July: Centro Cultural Laurinda Santos Lobo and Museu Casa de Benjamin Constant. In the first venue, a pinky mansion from late 19th century, the participants will be able to explore the multiple environments from the old residence of Baroness of Parina and later from senator Joaquim de Lima Pires Ferreira (even though the cultural center has received the name of the main Maecenas from the neighborhood, during the Belle Epoque, Laurinda has never actually lived in that house).

“I thought everything was very romantic. I want to create projects that integrate the city with nature. Here is perfect”, said Jan Cleijne, Dutch artist representing the field of literature, about his first impression while observing Casa Laurinda Santos Lobo’s garden. Playwright Pedro Kosovski, Brazilian delegate for the performing arts, was animated with the possibility of making a presentation having the façade from the smaller house as a set, located behind the main house. “These walls with elderly doors and windows have texture and are beautiful”, commented the author. “It is a very theatrical space”, added Cesar Augusto, one of the curators for the field of theater and doc theater, who is also one of the creators of this residency.

From then on, the day was for the acclimatization to the city, with touristic activities. The program went on with a visit from the Dutch delegates to Corcovado (Christ, the Redeemer), to get to know one of the main points of visitation of Rio. And the first day ended with an animated meeting at the small wall in front of Bar Urca. There, artists and curators could talk about trivialities (but also exchange ideas about the projects they will create together), while enjoying the view from Guanabara Bay.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s