A conquista do Oeste | Conquering the West

Em um domingo que oscilava entre sol e vento forte, os artistas da parte holandesa da HOBRA – Residência Artística Holanda Brasil fizeram uma pausa nos trabalhos e aproveitaram para conhecer um pouco mais da Cidade Maravilhosa. No Reduto, QG do projeto em Botafogo, o grupo embarcou em dois jipes para desbravar a Zona Oeste carioca, em uma jornada de mais de 40 quilômetros (só de ida). Também participaram do passeio Marcos Chaves, representante brasileiro de artes visuais; Jorn Konijn, um dos idealizadores da HOBRA; Anja Krans, coordenadora do projeto; e o diretor de produção Victor Haim (confira as fotos do dia clicando aqui).

A Zona Oeste do Rio não costuma figurar nos cartões-postais. Pelo caminho, os holandeses  impressionaram-se com a diferença dos edifícios da Barra da Tijuca em relação aos da Zona Sul, além da exuberante arquitetura da Cidade das Artes (projeto do francês Christian de Portzamparc). A paisagem foi tornando-se mais bucólica e verdejante conforme a viagem prosseguia rumo a Barra de Guaratiba. E, depois de muitas fotos, surpresas e comentários sobre o trajeto, o grupo chegou ao seu primeiro destino: o Sítio Roberto Burle Marx.

HOBRA - Passeio Zona Oeste (02)
Thomas Kuijper e Jan Cleijne

Arquiteto, artista plástico e paisagista de fama mundial, autor de projetos fundamentais como o Parque do Flamengo, Burle Marx (1909-1994) nasceu em São Paulo, mas escolheu viver no Rio, transformando o seu sítio (aberto a visitas com hora marcada) em laboratório para o exercício de seu talento e criatividade. No local, os residentes da HOBRA puderam passear pelos viveiros de plantas, explorar o sítio e o casarão, além de aprender algumas lições sobre o contexto histórico da arquitetura brasileira no século XX, com o curador Marlon da Costa Souza.

HOBRA - Passeio Zona Oeste (03)
Almoço no Restaurante do Bira

Ao final da visita, o quadrinista Jan Cleijne, representante holandês da área de literatura, elogiou as instalações deixadas por Burle Marx e se disse “ansioso para ver os reflexos daquela visita no trabalho dos artistas durante a residência”. Já era hora do almoço, e o grupo encerrou o programa com uma  imersão gastronômica. No tradicional restaurante do Bira, em Barra de Guaratiba, todos puderam saborear uma moqueca de peixe e camarões, apreciando ainda a bela vista para a entrada da Restinga de Marambaia.

. . .

On a Sunday when the weather went from sunny to windy, the Dutch artists from HOBRA – Residência Artística Holanda Brasil made a pause in their works and took some time to see a bit more of the Cidade Maravilhosa, as Rio is known. At Reduto’s, the project HQ in the Botafogo neighborhood, the group embarked two jeeps to conquer the West Zone of the city, in a journey of more than 40 km (just one way). Also participated of the trip: Marcos Chaves, Brazilian delegate for visual arts; Jorn Konijn, one of the creators of HOBRA; Anja Krans, project’s coordinator; and production director Victor Haim (check that day’s pics here).

The West Zone of Rio is not often part of postcards. On the way, the Dutch got amazed with the difference between the buildings of Barra da Tijuca and those of the South Zone, besides the exuberant architecture of Cidade das Artes (a project from French Christian de Portzamparc). The scenery started to become bucolic and greener as the trip went on towards Barra de Guaratiba. Then, after lots of pictures taken, surprises and comments about the trip, the group arrived at its original destiny: Roberto Burle Marx’ site.

HOBRA - Passeio Zona Oeste (02)
Thomas Kuijper and Jan Cleijne

World famous architect, visual artist and landscaper, author of fundamental projects like Parque do Flamengo, Burle Marx (1909-94) was born in São Paulo, but chose to live in Rio, transforming his grange (open to public visitation, with pre-scheduled time) into a laboratory for the exercise of his talent and creativity. At the site, HOBRA’s residents could walk around plants nurseries, explore the gardens and his mansion, besides learning some lessons about the historical context of the Brazilian architecture in the 20th century, together with curator Marlos da Costa Souza.

HOBRA - Passeio Zona Oeste (03)
Lunch at Restaurante do Bira

At the end of the visit, cartoonist Jan Cleijne, Dutch delegate in the field of literature, praised the installations left by Burle Marx, saying that he was “anxious to see the reflexes of the visit in the works done by the artists during the residency”. Being already lunch time, the group closed the program with a gastronomical immersion. At the traditional Restaurante do Bira, in Barra de Guaratiba, everybody could taste a moqueca de peixe e camarões (local fish and shrimp stew), while appreciating the beautiful view of the entrance to Restinga de Marambaia, a sandbank where the sea water meets a lake.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s