LITERATURA / LITERATURE

CURADORA / CURATOR

MB118

ISABEL DIEGUES – COBOGÓ

Isabel Diegues é diretora editorial da Cobogó, criada em 2008 com foco em publicações sobre arte e cultura contemporâneas. Formada em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, organizou livros como Adriana Varejão – Entre Carnes e Mares (2010), Pintura Brasileira Séc. XXI (2011), Gerald Thomas – Arranhando a Superfície (2012) e Fotografia na Arte Brasileira Séc. XXI (2013). É organizadora da Coleção Dramaturgia na mesma editora, dedicada à publicação de obras teatrais contemporâneas. No cinema, foi diretora e roteirista dos premiados curta-metragens Vila Isabel (1998) e Marina (2003), e produtora executiva de Madame Satã (2002), longa de Karim Aïnouz.

Isabel Diegues is editorial director of Cobogó publishing house, which was created in 2008 with a focus in publications about contemporary art and culture. Graduated in Languages from Pontifícia Universidade Católica of Rio de Janeiro, she has put together books like Adriana Varejão – Entre Carnes e Mares (2010), Pintura Brasileira Séc. XXI (2011), Gerald Thomas – Arranhando a Superfície (2012) and Fotografia na Arte Brasileira Séc. XXI (2013). She is the organizer of Coleção Dramaturgia, for the same publishing house, dedicated to the printing of contemporary theatrical works. She also directed and wrote screenplays for the short films Vila Isabel (1998) and Marina (2003) and was executive producer of Madame Satã (2002), a full feature by Karim Aïnouz.


REPRESENTANTE DO BRASIL / BRAZILIAN DELEGATE

Lucas Viriato 2

LUCAS VIRIATO

O carioca é formado em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. É mestre em Literatura Brasileira pela mesma universidade, na qual cursa atualmente o doutorado em Literatura. Desde 2006, edita o jornal literário Plástico Bolha, que já publicou centenas de escritores e poetas, entre novos e consagrados. Lançou Memórias Indianas (2007), Retorno ao Oriente (2008), Contos de Mary Blaigdfield, a Mulher que Não Queria Falar sobre o Kentucky – E Outras Histórias (2010), Antologia de Prosa Plástico Bolha (2010), Curtos e Curtíssimos (2012), Muestras (2013), Corpo Pouco (2013), Antologia de Poesia Plástico Bolha (2014) e Blue (2015). Após passar pelo evento CEP 20.000, no qual trabalhou com o poeta Chacal, organizou o Labirinto Poético e o Estação Nordeste. Seu trabalho mais recente é a curadoria da exposição Poesia Agora, no Museu da Língua Portuguesa, em São Paulo. Já participou de diversos festivais de poesia pela América Latina e recebeu, em 2012, o prêmio Agente Jovem de Cultura, concedido pelo Ministério da Cultura. Está com dois livros no prelo: Nepal Legal e Índia Derradeira, ambos para 2016.

This Rio de Janeiro native graduated in Languages from Pontifícia Universidade Católica of Rio de Janeiro and has a Masters from that course at the same university, where he is currently doing a doctorate in Literature. Since 2006, he edits the literary journal Plástico Bolha, which has already published hundreds of writers and poets, both new and already celebrated. He launched Memórias Indianas (2007), Retorno ao Oriente (2008), Contos de Mary Blaigdfield, a Mulher que Não Queria Falar sobre o Kentucky – E Outras Histórias (2010), Antologia de Prosa Plástico Bolha (2010), Curtos e Curtíssimos (2012), Muestras (2013), Corpo Pouco (2013), Antologia de Poesia Plástico Bolha (2014) and Blue (2015). After having worked with the poet Chacal at the event CEP 20.000, he organized Labirinto Poético and Estação Nordeste. His most recent work is the curatorship of the exhibition Poesia Agora, at Museu da Língua Portuguesa, in São Paulo. He has already participated in various poetry festivals all over Latin America and has been awarded, in 2012, the prize Agente Jovem de Cultura, given by the Ministério da Cultura. He has two books in the oven: Nepal Legal and Índia Derradeira, both due in 2016.


REPRESENTANTE DA HOLANDA / DUTCH DELEGATE

Jan Cleijne

JAN CLEIJNE

Jan Cleijne começou sua carreira em 2001, ilustrando livros infantis e colaborando com revistas em quadrinhos. Desde então, tem trabalhado junto a uma ampla gama de editoras, museus e produções teatrais. Ciclista amador, Cleijne fez de sua primeira graphic novel, Legends of the Tour, um retrato apaixonado sobre o esporte e sua principal prova, o Tour de France. Na obra, ele apresenta lendas como Jacques Anquetil, Fausto Coppi e Eddy Merckx, e narra a evolução do ciclismo, do seu começo inocente no início do século XX (quando os competidores paravam no meio do caminho para uma cerveja) até a máquina de fazer dinheiro de hoje em dia, marcada pelo escândalo de doping de Lance Armstrong, destituído de suas sete vitórias no Tour de France.

Jan Cleijne started his career in 2001, illustrating children books and collaborating in comic books. He has since worked for a wide range of publishers, theatrical productions, media and museums. Amateur cyclist, Cleijne made his first graphic novel, Legends of the Tour, a passionate picture about this sport and its most important competition, the Tour de France. In his work, he presents legends like Jacques Anquetil, Fausto Coppi and Eddy Merckx, and narrates the evolution of cyclism, from its innocent beginning, in the early 20 th century (when the competitors still stopped in the middle of the way for a beer) up to the point of where it is nowadays, as a money making machine, and stained by the doping scandal of Lance Armstrong (destituted of his seven victories in the Tour de France).